Posts Tagged ‘Videos’

A lombriga de toda sexta-feira

outubro 23, 2009

Ontem, eu estava ajudando um colega na pesquisa do seu TCC, o assunto da sua monografia é o relacionamento da marca All Stars  da Converse com o rock and roll, realmente, a marca tem um forte envolvimento com o público consumidor desse estilo, realmente ela fez uma escolha muito inteligente.

Acabei encontrando no Ads Of The World essa campanha de 2007, entitulada “We called it life”, traduzindo literalmente seria “Nós chamamos isso de vida”, o que me fez lembrar que hoje é sexta feira, exatamente quando começa aquele movimento nas suas entranhas, parecido com uma lombriga, mas um outro tipo de lombriga que não chupa toda a glicose do seu sangue e faz você pedir doce, ao contrário, faz você querer esbórnia.

Sabe aquela sensação que faz as pessoas perderem a conta dos copos que beberam, faz você atirar a garrafa da cerveja pela janela, aquele estouro que desperta uma enzima insana no cérebro; além de querer brigar com seguranças,  tropeçar na frente de uma boate e morrer de rir com isso, beijar pessoas desconhecidas e transar em lugares perigosos – acho que foi esse o norte criativo dessa campanha, a lombriga que nasce em algumas pessoas toda sexta-feira.

Aproveitando para dar uma animada, deixo aqui o clip da Ladyhawke com Paris Is Burning, música muito bacana para já dar o ritmo do final de semana e que também me faz lembrar dos meus tempos de baixista no circuito indie rock parisense.

(O parágrafo acima é todo mentira).

Conversesnow (1)

Anúncios

Imitassamba

outubro 20, 2009

sony_bravia_balls

Vamos fingir que o novo filme da Aquarius Fresh – a água com sabor da Coca Cola – não é imitação, para não dizer plágio, do premiadíssimo comercial da Sony Bravia. Garrafas ou bolinhas de borrachas caindo ladeira a baixo, por favor.

Só esqueceram de trocar o santo, São Paulo não é São Francisco.

Confere aí e tire as tuas conclusões.

O que é mais cool do que ser cool?

outubro 8, 2009

A fórmula já é um pouco conhecida entre todo nós, não é? Estou em um bar longe do centro da cidade, na mesa comigo um monte de gente semi-importante: publicitários premiados, a relações públicas da noite mais badalada da cidade, a dona daquele loja que vende calça Diesel, personagens que você encontra em Nova York, São Paulo ou Manaus, as cidades do mundo estão cheias dessas pessoas.

Você simples assalariada, que trabalha na normalidade do seu escritório, com café de cafeteira, impressora que não funciona, faxineira que bagunça o seus arquivos, ou seja, uma pessoa simples perdida no meio de tanta outras, que foi para na mesa de um bar desconhecido, o famoso convite-furada de alguém, depois da segunda cerveja e de três tentativas de aproximação, você percebe que está sendo esnobado e escanteado, não adianta nem oferecer cigarro para todo mundo.

A solução? Falar de cultura, sobre duas coisas que não tem erro: a primeira…  música, diga algo de preferência  sobre os Stokes, como a banda está perto do fim, comente que você não gostou nada do novo trabalho de John Casablanca “uma mistura de indie com pop anos 80, o The Killers já fizeram e desfizeram essa fórmula”, ponto para você. Na hora que a conversar descambar para o cinema, não se arrisque em caminhos difíceis como Lars von Trier ou até mesmo Woody Allen e sua incessante vontade de mostrar a cidades como enormes pontos turísticos.

Você tem que falar de Quentin Tarantino cara, o diretor mais hype dos últimos quinze anos, desenvolva uma longa conversa, disserte gesticulando bem os braços sobre seus personagens com enormes cicatrizes, traumas psicológicos, sede de vingança a qualquer preço, estética pós- moderna e edição rápida.

Agora, fora de brincadeira, o cara sabe o que faz, se daqui um tempo começar a parecer festa anos 2000 (olha que elas vão aparecer antes do que você imagina), certamente vai ter alguém com um macacão amarelo e franjas loiras.

Andam dizendo que Os Bastardos Ingloriosos – o nome do filme foi traduzido pela minha avó – é realmente um bom filme e não apenas um acredite no hype, esperaremos para ver se é verdade, pelo que vi o Brad Pitt está em um papel que lembra muito o Clube da Luta.

Veja o trailler e tire sua própria opinião (ela é muito importante).

2016 Goes To…

setembro 30, 2009

olym2016logos

Na próxima sexta-feira, dia 2, o COI (Comitê Olimpico Internacional) irá divulgar a cidade sede das Olimpíadas de 2016.

Você leitor bem informado do Pão & Circo, vai escutar a enxurrada de notícias que a confirmação ou não confirmação do Rio de Janeiro como cidade sede vai gerar, então, desde logo é bom você decorar algumas frases, para se mostrar uma pessoa bem informada com seus amigos e colegas de trabalho. Ser bem informado é tudo no mundo dos negócios.

Não se esqueça de usar frases como “Madrid oferecia uma ótima estrutura para realização dos jogos, mas não contava com o apoio popular devido à crise financeira, já que a Espanha foi um dos países mais afetados pelo mal agouro de 2008”, ou você pode demonstrar um grande conhecimento sobre a história das Olimpíadas “Chicago era uma das favoritas, entretanto, a comunidade esportiva internacional via com maus olhos a candidatura, já que seria a terceira cidade americana escolhida em menos de 30 anos”.

Com intuito de dar uma força, o blog Pão & Circo vai postar aqui o vídeo promocional das quatro cidades candidatas, para você mostrar aquela estagiária gostosa, que você não está aonde esta por acaso.

Fico devendo a ficha técnica dos filmes, mas pela qualidade e preciosismo das produções, pode ter certeza, todas contaram com o melhor da publicidade que o dinheiro pode pagar. Qual é o seu favorito?

E claro, nós aqui da distante e fria Porto Alegre estamos na torcida pelo Rio.

Colaborativismo 001

setembro 29, 2009

O título do post parece um pouco complicado, mas fale de algo bem simples, é normal alguém se assustar quando enxerga o sufixo “ismo” em uma palavra, sei lá, inconscientemente a sua cabeça já faz conexões com revolução russa, Carl Marx, aulas chatas de arte na sétima série: comunismo, marxismo, capitalismo, construtivismo, cubismo e mais um monte de coisa que você sabe o que é, mas não sabe explicar com palavras.

O tal do colaborativismo é um movimento que cada dia cresce mais na nossa sociedade, seja nos governos, instituições, empresas, etc. Significa uma politica que estimula a a participação coletiva com idéias e opiniões. O Google sendo a empresa mais inovadora e inteligente do nosso planeta investiu nessa idéia com o Projeto 10^1oo  – eles mesmos explica o projeto:

“No total, segundo um comunicado da empresa, foram recebidas cerca de 150 mil ideias, em mais de 25 idiomas e 172 países. No Brasil, cerca de 5.500 sugestões foram enviadas ao site do programa. A responsabilidade da análise do material recebido ficou por conta de três mil funcionários do Google, em todo o mundo, que levaram em consideração cinco critérios: alcance, profundidade, eficiência, longevidade e implementação.

As sugestões foram divididas em assuntos: comunidade, oportunidade, energia, ambiente, saúde, educação, moradia e tudo mais”

Agora o Google abriu uma votação e vai financiar os projetos escolhidos pelo público?  Seria o mundo saindo das trevas? Vota lá playboy…

http://www.project10tothe100.com/

A ótima trilha é dos australianos do Joy Zipper – Go Tell The World.

The Ultimate Search

setembro 28, 2009

Gerrard - The Ultimate Search

Copa do Mundo chegando e as gigantes Adidas, Nike e Puma começam a jogar as suas cartas, a pergunta é “como vamos marcar presença na África do Sul em 2010?”

A resposta: comerciais astronomicamente caros e indiscutivelmente geniais; agências do mundo inteiro se descabelam para oferecer a estas empresas o que há de mais novo e criativo na publicidade, afinal, estamos falando do esporte mais popular do mundo, logo a liderança de mercado significa bilhões em cima de bilhões.

Quem saiu na frente dessa vez foi a Adidas com a ação viral “The Ultimate Search”, HQs foram produzidos pelos maiores nomes dos quadrinhos como J.G. jones, as historinhas contam as trajetórias dos soccer stars Adebayor,  Gerard, Kaka e Messi – sem esquecer de algumas misteriosas aparições do francês Zidane.

Paralelamente, na internet foi lançado o primeiro vídeo que serve para contemplar o HQ, que se refere ao capitão da seleção inglesa e do Liverpool (video abaixo)

Mais um sinal que as ditas mídias alternativas ganham cada vez mais espaço. E sabe porque isso? Porque na TV e na revista a marca tenta vender e na internet é diferente, ela precisa criar o conteúdo, ser interessante e útil.

Confere aí.

Sobre sustentabilidade e as praias francesas que eu nunca conheci.

setembro 21, 2009

Fight Club - Tyler Durden and Jack

“Tyler perguntou com quem eu estava lutando.

Sabe as coisas que Tyler diz sobre ser um merda, um escravo da história? Pois era assim que eu me sentia. Queria destruir tudo de belo que eu nunca tive; por fogo na floresta Amazônica, Injetar CFCs direto na camada de ozônio. Abrir válvulas de descarga de superpetroleiros e destampar poços de petróleo em alto mar. Queria matar os peixes que não pudesse comer e contaminar as praias francesas que não conheci.

Queria que todo mundo chegasse ao fundo.

Batendo naquele garoto, o que eu queria, na verdade, era meter uma bala no meio da testa de todos os pandas ameaçados de extinção que não trepavam para salvar a espécie e cada baleia ou golfinho que desistisse de lutar e encalhasse na praia – não veja isso como extinção, veja como diminuição de espécie.

Por milhares de anos, os seres humanos fodem e sujam e cagam em cima deste planeta, e agora a história quer que eu limpe tudo? Preciso lavar e amassar as latas de sopa. E dar conta de cada gota de óleo dos motores.

E ainda tenho que pagar a conta pelo lixo nuclear, pelos depósitos de gasolina queimados e pela lama tóxica despejada por uma geração anterior a minha, eu queria sentir o cheiro de fumaça.

Pássaros e cervos são meros luxos e todo peixe deveria voar. Este é meu mundo, o meu mundo e os antigos estão mortos; eu queria por fogo na Louvre e limpar a bunda com a Monalisa.

Foi naquele café da manhã que Tyler Durden inventou o Projeto de Ações Violentas – ele queria que o mundo ficasse livre da história.”

Extraído de o Clube da Luta de Chuck Palahniuk.

Kid Cudi

setembro 17, 2009

kid-cudi-2

Com o Kanye West cagando fora do pinico, cai nas mãos de Kid Cudi a responsabilidade de ser o rapper mais gente fina e estileira do pedaçao.

Confere ai o super hit de Day N´Night – o remix é dos italianos dos The Crookers.

Acho que ele vai conseguir…

Daft Punk Está Tocando na Minha Casa

setembro 15, 2009

 57461117ES003_2006_Coachell

Temos que admitir, ao música eletrônica nunca esteve tão chata, não apenas em Porto Alegre, acredito no mundo inteiro, cada vez mais sem graça e repetitiva, todo mundo diz que entende, mas ninguém faz direito.

Para relembrar o tempo que techno era techno, e quando o house era house, chega as lojas nas próximas semanas o DJ Hero, versão destinada o pessoal das pick ups do já conhecido game Guitar Hero,

Quem vem junto no lançamento é o Daft Punk, a banda de musica eletrônica mais bem sucedida do mundo  vai ganhar 11 remixes para os seus principais sucessos.  O duo francês que sempre pensa duas vezes antes de se meter em algum projeto, promete agradar mesmo aqueles que mal sabem apertar o play em um mixer.

Fica aí a idéia de virem os capaecetes psicodélicos juntos.

Deixo o clipe de Robot Rock, ali aparece os dois rôbos detonando o rock and roll com seus intrumentos, a fotogafia do video é muito boa, me lembra muito as transmissões do carnaval da extinta TV Manchete, aquela imagem vagabunda, que fica manchada quando passa por um foco de luz.

Check this out…

Helvetica 50

agosto 26, 2009

sex-drugs-helvetica

Se alguém convidasse você para assistir um tal filme chamado de Helvetica 50 Years. Você provavelmente iria perguntar.

– Mas sobre o que fala esse filme? sobre os 50 anos do reinado de um imperador suiço, não rola cara, filme europeu, muito chato.

– Não cara, é sobre a fonte texto helvética, aquele que tem no Word.

– Tá maluco, mais chato ainda.

Realmente parece ser um convite pouco aceitável, entretanto o documentário Helvetica 50 Years  do diretor Gary Hustwit é realmente um bom programa, mesmo que você não seja designer, publicitário ou qualquer uma desse profissões de gente arrogante.

Com uma bela fotografia, ótima trilha sonora e linguagem acessível o filme trata sobre está fonte que revolucionou o designer gráfico, criada na Suiça em 2007, a Helvetica trouxe limpeza, imparcialidade e neutralidade, extamente como os suiços são.

Logo a fonte tornou se a favorita, tanto que as maiores empresas criaram sus logotipos com Helvetica, a onde foi tão forte que 20 anos depois virou padrão, nos anos 70 criou se um boato que dizia que as empresas que usavam a fonte apoiavam a Guerra do Vietnã, nesta época a layout poluido e psicodélico representavam transgressão, tão normal em tempos de Woodstock. Hoje em dia ela se tornou um mito, tendo vários admiradores e fãs clubes no mundo inteiro.

Como eu disse o filme não interessa apenas os profissionais da área, mas todos que querem enteder, de uma maneira ou de outra, o mundo que a gente vive, já que a fonte está presente em quase todos os lugares.

Dificil vai ser achar na Blockbuster, então confere aí trailler.