Posts Tagged ‘Cinema’

O que é mais cool do que ser cool?

outubro 8, 2009

A fórmula já é um pouco conhecida entre todo nós, não é? Estou em um bar longe do centro da cidade, na mesa comigo um monte de gente semi-importante: publicitários premiados, a relações públicas da noite mais badalada da cidade, a dona daquele loja que vende calça Diesel, personagens que você encontra em Nova York, São Paulo ou Manaus, as cidades do mundo estão cheias dessas pessoas.

Você simples assalariada, que trabalha na normalidade do seu escritório, com café de cafeteira, impressora que não funciona, faxineira que bagunça o seus arquivos, ou seja, uma pessoa simples perdida no meio de tanta outras, que foi para na mesa de um bar desconhecido, o famoso convite-furada de alguém, depois da segunda cerveja e de três tentativas de aproximação, você percebe que está sendo esnobado e escanteado, não adianta nem oferecer cigarro para todo mundo.

A solução? Falar de cultura, sobre duas coisas que não tem erro: a primeira…  música, diga algo de preferência  sobre os Stokes, como a banda está perto do fim, comente que você não gostou nada do novo trabalho de John Casablanca “uma mistura de indie com pop anos 80, o The Killers já fizeram e desfizeram essa fórmula”, ponto para você. Na hora que a conversar descambar para o cinema, não se arrisque em caminhos difíceis como Lars von Trier ou até mesmo Woody Allen e sua incessante vontade de mostrar a cidades como enormes pontos turísticos.

Você tem que falar de Quentin Tarantino cara, o diretor mais hype dos últimos quinze anos, desenvolva uma longa conversa, disserte gesticulando bem os braços sobre seus personagens com enormes cicatrizes, traumas psicológicos, sede de vingança a qualquer preço, estética pós- moderna e edição rápida.

Agora, fora de brincadeira, o cara sabe o que faz, se daqui um tempo começar a parecer festa anos 2000 (olha que elas vão aparecer antes do que você imagina), certamente vai ter alguém com um macacão amarelo e franjas loiras.

Andam dizendo que Os Bastardos Ingloriosos – o nome do filme foi traduzido pela minha avó – é realmente um bom filme e não apenas um acredite no hype, esperaremos para ver se é verdade, pelo que vi o Brad Pitt está em um papel que lembra muito o Clube da Luta.

Veja o trailler e tire sua própria opinião (ela é muito importante).

Anúncios

Beatles & Disney

agosto 26, 2009

 beatles-yellow-submarine-characters

A máxima: o rock and roll está tão perigoso quanto um pote de margarina.

Porque digo isso? Semana passada postei uma homenagem para o designer Heiz Eldmann, diretor artístico do filme Yellow Submarine que morreu há uns dias atras.

Então, ontem saiu uma noticia que a Disney vai fazer um remake 3D do desenho animado, que será lançado em 2012, data que o filme comemorará 45 anos, também vai ser aproveitado o gancho com as Olimpíadas que vai ser realizada em Londres no mesmo ano.

Quem vai ser o responsável da produção é Robert Zemeckis que faturou uma pedrada de Oscars com Forets Gump.  Yellow Submarine ficou famoso pelo seu ar underground, transgressor, que inclusive foi acusado de fazer apologias as drogas, já que Lucy in the Sky and Diamong (LSD) foi lançando no álbum que leva o nome do filme.

Basta saber se a Disney vai deixar o desenho mais light, se é que você me entende. E támbem me pergunto se a molequeda vai ganhar seu Ringo Star ao comprar o McLanche Feliz.

Helvetica 50

agosto 26, 2009

sex-drugs-helvetica

Se alguém convidasse você para assistir um tal filme chamado de Helvetica 50 Years. Você provavelmente iria perguntar.

– Mas sobre o que fala esse filme? sobre os 50 anos do reinado de um imperador suiço, não rola cara, filme europeu, muito chato.

– Não cara, é sobre a fonte texto helvética, aquele que tem no Word.

– Tá maluco, mais chato ainda.

Realmente parece ser um convite pouco aceitável, entretanto o documentário Helvetica 50 Years  do diretor Gary Hustwit é realmente um bom programa, mesmo que você não seja designer, publicitário ou qualquer uma desse profissões de gente arrogante.

Com uma bela fotografia, ótima trilha sonora e linguagem acessível o filme trata sobre está fonte que revolucionou o designer gráfico, criada na Suiça em 2007, a Helvetica trouxe limpeza, imparcialidade e neutralidade, extamente como os suiços são.

Logo a fonte tornou se a favorita, tanto que as maiores empresas criaram sus logotipos com Helvetica, a onde foi tão forte que 20 anos depois virou padrão, nos anos 70 criou se um boato que dizia que as empresas que usavam a fonte apoiavam a Guerra do Vietnã, nesta época a layout poluido e psicodélico representavam transgressão, tão normal em tempos de Woodstock. Hoje em dia ela se tornou um mito, tendo vários admiradores e fãs clubes no mundo inteiro.

Como eu disse o filme não interessa apenas os profissionais da área, mas todos que querem enteder, de uma maneira ou de outra, o mundo que a gente vive, já que a fonte está presente em quase todos os lugares.

Dificil vai ser achar na Blockbuster, então confere aí trailler.

This Is England

agosto 21, 2009

this is england

Cara aqui vai uma boa dica de filme que foi lançado em 2006.

This is England. O filme se passa na terra da rainha no ano de 1983, nessa época o Reino Unido vive um momento social muito conturbado, Marget Tatcher tomou posse a pouco tempo e botou em práticas reformas pra lá de polêmicas na ilha, principalmente no que se refere a educação e a privatização de empresas, o que chamos hoje de liberalismo.

Além disso a Inglaterra está em guerra-massacre contra a Argentina, conhecida como a Guerra das Malvinas, milhares camponeses argentinos foram massacrados (mas devidamente vingados por Maradona na Copa de 1986), uma guerra inútil e cara, que causou algumas baixas britânicas, umas dessas baixas foi o pai do protagonista do filme, o jovem Shaun.

Nas sua férias ele começa a andar com jovens mais velhos que ele, ali ele entra em contato com sexo e drogas, mas ainda de maneira infantil, até que chega alguém tentando lavar a mente desse pessoal, convencendo eles a lutar pela verdadeira Inglaterra, quem seria o inimigo em questão, os imigrantes asiáticos.

Dirigido por Shene Meadows o filme que fala principalmente sobre o nascimento do da cultura punk e do movimento skinhead nacionalista, confere aí trailer e corre para a locadora.

Bruno

agosto 3, 2009

Bruno_Bee_man_by_MadnessJeff

Como você ajudaria os iranianos a se soltar um pouco?

Visitei toda aquela região da Terra Média: Israel, Síria, Jôrdania, Palestina. Eles são pessoas ótimas, mas o problema deles é que não tem sushi em lugar nenhum. Só carboidratos, carboidratos e mais carboidratos – humus, pão sírio, essa coisas. Não é de admirar que esse pessoal brigue tanto, eles estão inchachados e mal humorados. Sem falar na moda que esta atrasada em 300o temporadas. Se eu tivesse que vestir aquelas roupas também me explodiria. Quero organizar uma rave imensa, com todos os árabes e judeus, e pôr abaixo o muro das lamentações.

Bruno, o reporter gay austriaco, personagem de Sacha Baron Cohen em entevista a Revista Veja. O filme que leva o mesmo do personagem estréia dia 14 desse mês, não sobrou para ninguém, nem para o Eminen, confere aí o video.

Michel Gondry 003

abril 1, 2009

Michel Gondry

A saga continua, claro, está sendo o posts mais acessado do blog.

Então como sou sensacionalista, vou fazer uma tripla postagem. Os clips abaixos são dos White Strips, a banda tricolor tem uma relação muito próxima com o diretor francês. 

 O primeiro clip dirigido por Gondry para o WS  serviu como o pé na porta da MTV americana (o mesmo acontenceu com o Daft Punk), em 2002 peças de Lego psicodélicas invadiam a emissora e tornavam “Fell in Love wiht a Girl” e um dos grandes clássicos do indie rock.

Jáo segundo é de 2003, um passeio por NYC, acompanhados de inúmeros Jacks e Megs Whites, haja amplificadores e baterias – NYC parou amigo.

Aproveitando a oportunidade deixo também “I Just Don’t Know What To Do With Myself”, que não é dirigido por Gondry e sim pela Oscar winner Sofia Copolla, foge um pouco da temática, mas ver a Kate Moss como strip dancer vale qualquer sacríficio.

Joker Hospital Scene

março 18, 2009

joker-hospital1

Pensei que ia ser um pouco difícil encontrar as imagens para ilustrar este post, mas na verdade foi simples, na verdade sobravam, o que me leva a pensar que sim, muitos concordam comigo que a cena do Coringa no hospital – Batman Caveleiro das Trevas – foi umas das melhores cenas da história do cinema.

A cena envolvia um grande risco, foi feita em plano sequência, ou seja, sem cortes – duas vezes. A primeira parte aonde ele passeia pelo corredor do hospital enquanto cada um dos quadros explodem na sua costa; já a segunda, a mais impressionante de todas é quando todo o hospital vem a baixo, reparem na calma de Ledger enquanto aparte os botõezinhos dp controle remoto e sua pressa para entrar no ônibus, tudo de verdade, não poderia haver erros, afinal não se acha um hospital todos dias para explodir.

A atuação de Heatht Ledger é tão boa e a mistica em torna da sua morte é tão forte que Warner Bros utlizou o Coringa em quase todos os materias de divulgação do filme, já o Batman dá as caras poucas vezes. 

Realmente Ledger mereceu todos os prêmios póstumos que recebeu.

Michel Gondry

fevereiro 23, 2009

ff_gondry1_f

Sempre tive muita vontade de escrever sobre esse cara, Michel Gondry é um dos mais importantes diretores da cultura pop dos anos 90 e 2000, seu trabalho se extende do cinema(O Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças com Jim Carey e Kate Winslet), passa por videos clipes e também passa por excelentes filmes publicitários.

Entre seus clientes estao Daft Punk, White Strips, Björk, Paul McCartney, já quando o assunto é marcas, podemos citar Levis e HP.

Seu estilo é inconfundível, trabalho muito com as repetiçoes, fazendo delas algo extremamente divertido, também utiliza grande planos sequência.

Começo a seção com o ótimo clipe de Star Guitar do Chemical Borthers, um trêm em direção ao nada, passando pelo infinito.