Summertime

untitled

Fomos embora acelerados e imundos porque não tinhamos vontade de tomar banho, pegamos apenas os discos de Nina Simone, The Gathering e Coutings Crows, dos quais só escutamos, sem parar, uma única música, que era “Dont Let Me Be Missundertood”, porque com o sol que subia, e subia numa velocidade vertiginosa sobre as estradinhas beira-mar, o cheiro de café, o vento nos nossos cabelos e essa música nos davam, ainda que tivéssemos passados dias sem dormir, a impressão que de renascer, e eu olhava Manon de jeans e uma blusa sem mangas manchada de café, com seus enormes óculos de estrela de cinema, com os pés descalços apoiados no para-brisa, escutando cantar em plenos pulmoes, e rir ao me escutar fazendo o refrão. Foi então que vi distitamente, mesmo sabendo que era a mais completa alucinação devido ao Stilnox, ao estado de destruicão avançada do meu cérebro, ou simplesmete devido ao cansaço, o rosto de Julie, imaculado e sereno, triste como um adeus, erguer-se acima de mim e explodir como uma bolha de sabão, e, logo em seguida Manon apertou minha mao no volante para chamar a atençao a uma nuvem que se parecia com ela, e piscou os olhos franzindo as sobrancelhas perguntando  “quando é que a gente chega?, depois bocejou e apoiou a cabeça no meu ombro e eu disse cá com os meu botoes: “puta que o pariu, como eu to feliz”.

Texto estraido de Bubblegum de Lolita Pille.

Anúncios

Tags: , , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: